GIANNI QUIROPRAXIA Bruxismo: causas, sintomas e tratamento

VIVA MELHOR, VIVA COM QUIROPRAXIA

Segundo a OMS, 30% da população mundial sofre com bruxismo.

No Brasil, a doença afeta até 40% da população, causando desconfortos e complicações que variam conforme o tipo de bruxismo.

Apesar de ainda não haver cura para o distúrbio, já existem tratamentos eficazes para controlar ou aliviar o agravamento da doença.

Quer aprender quais são as causas, sintomas e principais tratamentos para o bruxismo? 

Confira o texto a seguir e descubra!

O que é bruxismo?

Imagem de um mulher jovem com as mãos nas bochechas
Fonte: Canva

Bruxismo é o hábito de apertar involuntariamente a mandíbula, numa atividade como mastigação, pressionando excessivamente a boca e forçando os dentes um contra o outro. 

A pessoa que sofre com o problema nem sempre percebe esse hábito como uma disfuncionalidade. Dessa forma, pode sofrer com sintomas como ranger de dentes, problemas nas gengivas e nos ossos.

O bruxismo afeta pessoas de diferentes idades, mas, geralmente, atinge as crianças em maior proporção.

Nos jovens, o problema é associado ao sistema nervoso central, ligado aos fatores de risco como problemas respiratórios, refluxo gástrico, distúrbios do sono, ansiedade, estresse, transtorno de déficit de atenção (TDAH), entre outros.

Nos adultos, não existe uma idade específica para o aparecimento da doença. 

Ainda vale destacar que, apesar de ser mais comum a noite, os sintomas do bruxismo costumam ocorrer mais frequentemente no período noturno, durante o sono.

Tipos de bruxismo

Na odontologia, o bruxismo é dividido em duas categorias: diurno e noturno. Mas, o distúrbio também pode ser classificado sob duas vertentes: bruxismo cêntrico e excêntrico.

Bruxismo acordado, diurno ou de vigília costuma ocorrer na formação óssea e dentária, dos 2 aos 12 anos. Em adultos, as causas do bruxismo podem vir por transtornos psicológicos, emocionais, neurológicos ou efeitos colaterais de medicamentos, geralmente, antidepressivos.

Bruxismo noturno ou do sono acontecem involuntariamente durante o sono, em que possíveis associações como toro mandibular, distonia oromandibular, estresse ou genética podem interferir.

Além deles, há os tipos de bruxismo cêntrico e excêntrico. No cêntrico, o paciente apenas aperta os dentes, enquanto no excêntrico há o ranger dos dentes, assim como todos conhecem.

Causas

Imagem de uma mulher jovem estressada com as mãos na cabeça
Fonte: Canva

Apesar do avanço da medicina, não existem estudos ou pesquisas que definam a causa do bruxismo ou de que forma se adquire a doença.

O que existem são pesquisas com pacientes onde há algumas situações semelhantes. Sejam elas:

  • Genética;
  • Condicionamento físico;
  • Níveis de estresse;
  • Oclusão;
  • Distúrbios de personalidade;
  • Personalidade agressiva;
  • Ansiedade;
  • Depressão;
  • Apneia;
  • Tensão muscular;
  • Medicamentos antidepressivos;
  • Álcool;
  • Drogas ilícitas.

Dentre todas as causas do bruxismo citadas acima, os especialistas em saúde bucal apontam o excesso de estresse e fatores genéticos como os principais responsáveis pelo bruxismo cêntrico e excêntrico.

Na infância, adenoides e amígdalas muito grandes podem atrapalhar a passagem do ar e, como resultado, gerar o bruxismo. Além de, claro, questões emocionais, como mudança de escola ou separação dos pais.

Sintomas

Imagem de uma mulher deitada com dor de cabeça
Fonte: Canva

Os sintomas surgem conforme a idade da pessoa, o tempo em que sofre com essa disfunção e qual categoria do distúrbio apresenta. 

Nos tipos de bruxismo cêntrico e excêntrico, os sintomas mais característicos são:

  • Ranger de dentes (som alto capaz de acordar uma pessoa que estiver dormindo ao lado);
  • Dor de cabeça;
  • Dor na região cervical;
  • Dor de dente e/ou aumento da sensibilidade dentária;
  • Tensão dos músculos da mastigação.

Como acontece na maioria das vezes durante o sono, esses sintomas são identificados pela pessoa próxima de quem apresenta o problema, justamente pelo distúrbio ocorrer involuntariamente durante o sono.

Caso não haja o diagnóstico cedo, essas pessoas podem sofrem com esses problemas por anos, suscetíveis ao agravamento dos sintomas citados sem haver melhora temporal.

Tratamento

Imagem de uma mulher colocando um protetor anti-bruxismo
Fonte: Canva

Como dito anteriormente, o bruxismo não tem cura, apesar de também não trazer nenhum perigo extremo a saúde do paciente. De qualquer maneira, existem formas de tratar os sintomas do bruxismo. 

Primeiramente, podemos utilizar a placa de proteção dentária acrílica anti-bruxismo durante a noite. 

O utensílio é parecido com aquele aparelho invisível, usado para evitar o atrito dos dentes e, consequentemente, reduzir problemas nas articulações temporomandibulares.

Também aplicamos compressas quentes ou mornas nos lados da face, auxiliando o relaxamento muscular da região e aliviando os sintomas. 

Nos casos associados a problemas de oclusão, o profissional deve encaminhar o paciente para um tratamento ortodôntico.

Quando tratamos de ansiedade e/ou depressão, os métodos de relaxamento como biofeedback, psicoterapia, assim como o uso de antidepressivos, podem auxiliar na melhora do paciente.

Há também a possibilidade de incluir a meditação, acupuntura, yoga, atividades físicas, fisioterapia e, principalmente, quiropraxia no tratamento.

Em casos de desconforto excessivo na ATM, recomenda-se administrar relaxantes musculares ou benzodiazepinas por curto período, ou seja, utilizar gabapentina e buspirona

Nos casos mais graves, envolvendo trauma cranioencefálico, autismo, coma ou síndrome de Rett, aconselha-se aplicar toxina botulínica (Botox) para reduzir a atividade muscular da região.

Mas, antes de tudo, se você sente alguns dos sintomas descritos e pretende procurar ajuda para diagnosticar e tratar seu problema, procure por profissionais especialistas em dor orofacial. Assim, ele pode te dar um norte sobre quais exames devem fazer e qual será o melhor tratamento para o seu caso.

Quiropraxia no tratamento de bruxismo

Imagem de uma quiroprática ajustando rosto de paciente
Fonte: Canva

No tratamento para bruxismo, os ajustes de quiropraxia atuam na desordem muscular e articular. 

Como poucas pessoas sabem, a cervical está interligada a região da mandíbula e, neste caso, a quiropraxia auxilia na melhora da ATM.

A técnica também auxilia na redução da tensão nos dentes a partir dos ajustes em nós da musculatura, chamados “trigger points”. Dessa maneira, ocorre a normalização do tônus muscular da face e pescoço, diminuindo a dor nas regiões afetadas.

Além disso, a técnica pode ser aplicada em todas as categorias de bruxismo, para qualquer pessoa e idade, necessitando de adaptações de movimento e intensidade conforme as condições do paciente.

No início do ajuste quiroprático, o profissional faz uma liberação na região ATM, temporal e occipital do paciente. Grosseiramente, seria com fazer uma “massagem” nos dois lados da face, na têmpora e parte interna da nuca.

Em seguida, vem a liberação intra oral, visando soltar os pterigóides, os músculos mais internos da boca. Esse procedimento também é realizado nos dois lados da face, durando de 2 a 3 minutos.

Após executar os 4 passos de liberação, o quiropraxista executa a mobilização para trazer fluidez a região ATM, geralmente em movimento J, ou seja, abrir, tracionar, empurrar e subir.

No fim, é possível sentir alívio dos sintomas do bruxismo a partir da primeira sessão, trazendo maiores benefícios com a continuidade do tratamento.

Conclusão

Neste texto, conferimos o conceito de bruxismo, tipos, causas, sintomas e tratamento, principalmente através da quiropraxia.

Lembre-se: para receber seu diagnóstico, vá até um profissional especialista em dor orofacial. Caso ele libere tratamentos alternativos para lidar com os sintomas, procure um quiropraxista para te ajudar.

E se você mora na Serra Gaúcha, procure um quiropraxista em Caxias do Sul na Gianni Quiropraxia.

Abrir chat
Fale com Especialista
Clique novamente para ser atendido via WhatsApp.