GIANNI QUIROPRAXIA Bico de papagaio: o que é, sintomas e tratamento

VIVA MELHOR, VIVA COM QUIROPRAXIA

Durante o envelhecimento natural da coluna, uma série de anormalidades podem ocorrer, dentre elas, o surgimento do bico de papagaio (osteófitos).

A doença é bastante comum a partir dos 40 anos, algo que, apesar de não ser grave, pode ser trazer grande desconforto ao paciente.

Mas, quais são os sintomas do bico de papagaio? Posso tomar diclofenaco para bico de papagaio?

Para saber como tratar esse mal com métodos alternativos, inclusive quiropraxia, confira o texto a seguir!

O que é bico de papagaio?

Imagem de um coluna vertebral com bico de papagaio
Fonte: Canva

Bico de papagaio, também conhecido como osteofitose, é uma condição degenerativa que atinge os discos ósseos da coluna vertebral, comprometendo a ação amortecedora entre os ossos.

E por que ela tem esse nome?

Ao tirar uma radiografia, verificamos uma alteração óssea que, por acaso, se parece a um bico.

Especialistas consideram os osteófitos como um tipo de defesa do organismo que, para absorver o sobrepeso exercido sobre as articulações e equilibrar a coluna vertebral, cria uma camada óssea anormal em torno de uma articulação das vértebras.

Em resumo, ela causa dor acentuada nas costas, formigamento nos braços e pernas. Há também a queda da força muscular, falta de rigidez óssea e, como resultado, limitação dos movimentos da coluna.

Vale destacar que a osteofitose pode piorar ao longo dos anos, além de não ter cura. Por isso, o paciente que sofre com esse mau deve procurar tratamento para aliviar as dores e a sua falta de mobilidade.

Geralmente, a deformidade atinge pessoas a partir dos 50 anos, mas que, a depender de fatores de risco, podem se manifestar em pessoas mais jovens.

Causas

Imagem de uma mulher com dor nas costas
Fonte: Canva

Há diversos fatores que podem ocasionar na osteofitose, mas que, geralmente, são correspondentes as seguintes circunstâncias:

  • Envelhecimento: com o passar dos anos, há um desgaste natural nas articulações do corpo e, no caso, esse envelhecimento também ocorre nas vértebras da coluna;
  • Má postura: principal fator que leva a formação de bico de papagaio, principalmente em jovens. Se você fica por longas horas sentado em má postura, ou seja, com a cabeça curvada para baixo e/ou sem apoio cervical, corre sérios riscos de sofrer com a osteofitose futuramente;
  • Predisposição genética: caso membros da sua família sofram com osteofitose, há grande chance de você também ser atingido por essa doença;
  • Obesidade: nosso corpo é “projetado” para suportar um peso específico perante nossa altura. Se a sua massa corporal é muito maior do que o ideal, pode haver desgastes nos discos ósseos da coluna vertebral;
  • Sedentarismo: pessoas com dores acreditam que se esforçar pode piorar a sua condição. Mas, na prática, é o contrário, sendo a atividade física responsável por evitar e tratar a osteofitose;
  • Doenças reumáticas: no reumatismo, o surgimento de osteófitos são bastante comuns. Dessa maneira, a obesidade, o sedentarismo e o envelhecimento em conjunto com o reumatismo podem piorar e muito o quadro de sintomas do bico de papagaio;
  • Fraturas: rupturas articulares presentes a longo prazo podem evoluir para osteófitos devido à calcificação desorganizada da coluna vertebral.

As situações descritas acima combinadas podem prejudicar a situação do paciente, obrigado a tratar os sintomas mais simples a curto prazo e preparar recursos terapêuticos a longo prazo para se livrar das doenças mais complexas.

Sintomas

Imagem de figura feminina com dor na coluna
Fonte: Canva.

Por incrível que pareça, muitas pessoas não sentem nenhum sintoma ou desconforto pela osteofitose. 

Dessa maneira, a melhor forma de descobrir se você sofre com esse mau, principalmente se apresentar algum fator de risco citado acima, é por exames de radiografia, também conhecido como Raio-X.

Já quando a patologia está em um nível intermediário à avançada, o paciente sofrerá com dores locais onde o osteófito se encontrar, geralmente na região lombar ou cervical.

Também é possível sentir bastante formigamento dos membros inferiores, no caso da lombar, e superiores, na cervical. Além disso, o paciente pode se sentir fraco muscularmente, como se não conseguisse realizar determinadas tarefas, principalmente aquelas que demandam potência vertebral.

Muitos especialistas recomendam buscar tratamento assim que sentir algum desconforto na coluna. 

Mas, nós da Gianni, aconselhamos nossos pacientes a tratar da saúde constantemente e, de preferência, evitar que essa patologia surja, por exemplo, com a prática de ajustes de quiropraxia.

Alívio

Imagem de caixa organizadora de remédios cheia
Fonte: Canva

Novamente, devemos lembrá-lo que o bico de papagaio não tem cura, devendo o paciente a tratar seu mau da maneira mais conveniente.

No tratamento, há dois casos que podemos citar: quando o paciente precisa se livrar urgentemente das dores agudas e após livrar-se delas.

Nessa primeira fase, o médico ortopedista tem o objetivo reduzir a dor do paciente, geralmente por aplicação medicamentosa.

Mas, qual o melhor anti-inflamatório para bico de papagaio? Diclofenaco para bico de papagaio é bom?

Anti-inflamatórios não esteroides, por exemplo, ibuprofeno e diclofenaco, podem ser úteis no alívio da osteofitose, administrados por via oral ou injetável

Na segunda fase, o paciente pode empregar a terapia em seu tratamento, além de, é claro, investir na quiropraxia para o tratamento do bico de papagaio.

Prevenção

Imagem de uma mulher executando a melhora de postura
Fonte: Canva

A prevenção do bico de papagaio, bem como de qualquer complicação articular, passa por um conjunto de atos significativos, tais como:

  • Evitar o sobrepeso através de uma alimentação balanceada, com destaque para alimentos ricos em cálcio, como sementes, vegetais verde-escuro e, principalmente, leite;
  • Abster-se do consumo excessivo e/ou frequente de bebida alcoólica;
  • Praticar atividades físicas regulares, com ênfase em atividades de baixo impacto, por exemplo, natação, hidroginástica e bicicleta;
  • Ingerir a quantidade ideal de água diariamente;
  • Utilizar cadeiras ergonômicas;
  • Fazer pausas (no trabalho ou estudo) para movimentar as articulações;
  • Preservar-se de utilizar saltos altos durante longo período;
  • Fazer as sessões de quiropraxia indicadas pelo especialista

Todas as dicas citadas devem ser adaptadas a sua realidade e, certamente, você só deve fazer aquilo que se sente confortável. 

Caso tenha algum fator de risco e queira prevenir a osteofitose, procure um médico ortopedista ou um quiropraxista para te indicar a melhor solução para prevenir o bico de papagaio.

Por que a quiropraxia é importante no tratamento de bico de papagaio?

Imagem de um quiropraxista ajustando paciente
Fonte: Canva

Caso o paciente esteja na segunda fase do tratamento da osteofitose, muitos médicos recomendam a quiropraxia para aliviar os sintomas da patologia.

Mas, como é o tratamento do bico de papagaio com a quiropraxia?

Depende muito do local de formação do osteófito, haja vista que ajuste quiroprático tem o objetivo de alinhar a coluna, e não o desgaste do disco.

Na maioria das situações, o quiropraxista fará ajustes para trazer a coluna para o local originário e, dessa maneira, aliviar a sobrecarga existente na coluna vertebral.

Com o tempo, pode ser que a cartilagem presentes nas vértebras se regenere, aliviando as dores, melhorando a postura do paciente e, em alguns casos, evitando cirurgias.

Vale destacar que, dentre os diversos benefícios da quiropraxia no tratamento do bico de papagaio, o principal é evitar a intervenção cirúrgica necessária em casos gravíssimos de osteofitose.

Se você procura por um tratamento alternativo para bico de papagaio ou até em situações que já fora recomendado a cirurgia pelo seu médico, busque por quiropraxistas especialistas para decidir qual seria a melhor forma de prosseguir com o tratamento.

Conclusão

Neste texto, vimos o que é bico de papagaio, causas, sintomas, prevenção e tratamento.

Vale lembrar que a osteofitose é bastante comum, sobretudo em pacientes acima de 50 anos.

Se estiver próximo dessa idade, sinta alguma dor na coluna ou tenha algum fator de risco que possa levá-lo a sofrer com a doença, procure, inicialmente, um médico ortopedista e, simultaneamente, um quiropraxista. Juntos, eles te auxiliarão a tratar sua patologia sem precisar de intervenção cirúrgica.

E caso você precise de um quiropraxista em Caxias do Sul, procure a Gianni Quiropraxia. Nela, você terá os melhores profissionais ao seu dispor para disponibilizar o melhor tratamento para bico de papagaio.

Abrir chat
Fale com Especialista
Clique novamente para ser atendido via WhatsApp.